Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

City Lights

Aluna da Escola de Magia e Feitiçaria de Hogwarts (e de Medicina, nos tempos livres)

City Lights

Aluna da Escola de Magia e Feitiçaria de Hogwarts (e de Medicina, nos tempos livres)

Já Neva na Serra!

Parece que é oficial: já há neve na Serra da Estrela!

Normalmente, no que toca a este assunto em particular, não confio muito nos telejornais. A grande maioria das vezes, quando eles dizem ''Já há neve na Serra da Estrela'' o que querem mesmo dizer é ''Nevou um bocadito na Torre, quase nem se vê, mas pronto, é alguma coisa''.

Por isso, quando ouço estas notícias, a primeira coisa que faço é ligar à minha avó para confirmar. E desta vez confirma-se mesmo! Parece que nevou bastante durante a noite, mas a chuva durante o dia limpou tudo. De qualquer forma, já há algum tempo que não nevava tão cedo, por isso vou interpretar isto como um bom presságio! Talvez este ano volte a ter um Natal branquinho!

Capturar.PNG

 

Scary Cupcakes

Capturar30.PNG

 

Pssst... recadinho rápido: a Spirito também já está em modo Halloween com os cupcakes mais fofos que possam imaginar! É só encomendar a partir de hoje, dia 28. Eu já tenho o das dentuças e o do aracnóide mais do que reservados para ir buscar amanhã e levar para casa, como um miminho de fim-de-semana para a minha pimpolha gulosa (e para mim, claro).

Friends: Para Ver e Rever

Este Verão decidi que era mais do que altura de rever uma das minhas séries preferidas: Friends. Não é bem uma série ''do meu tempo'' o que equivale a dizer que não havia Wareztuga, nem Popcorn nem coisa que o valha. Os episódios que vi eram os que passavam na RTP2. Adorava aquilo, é só o que me lembro, mas como a televisão também ainda não tinha aquele botãozinho mágico para pôr a gravar, nunca acompanhei a série e era muito fácil perder o fio à meada.

Foi por isso que este ano decidi ver a coisa do início ao fim. Tinha planeado distribuir os episódios ao longo das férias, mas (como seria de esperar) acabei por vê-los em modo maratona! Acabei com eles em menos de um mês!

Esta semana, a Vogue relembra algumas das passagens mais marcantes da Rachel, e eu achei que era merecido dar-lhes algum destaque aqui no meu cantinho.

Capturar.PNG

Capturar1.PNG

Capturar2.PNG

Capturar3.PNG

Capturar4.PNG

 

Caça às Bruxas com Estilo

O Halloween está quase, quase a chegar, minha gente! A seguir ao Natal, à Páscoa e ao meu aniversário, é o meu acontecimento preferido no ano! Já sei que é um estrangeirismo, uma coisa vinda lá dos Ingleses, mas sejamos sinceros: de todas as coisas que já importámos por esse Mundo fora, o Halloween é capaz de ser uma das mais aceitáveis. E fica melhor a cada ano!

Como vivo numa aldeia em que ainda é relativamente seguro andar na rua sem gás pimenta na bolsa, a minha irmã costuma ir com o grupinho de amigos fazer a ronda à casa das pessoas. Chega a casa com um saque de fazer inveja! Já eu, com muita pena, parece que deixei de ter idade para fazer o mesmo...

Mas isso não quer dizer que deixe passar em branco uma das minhas noites preferidas, e é por isso que vos deixo aqui umas coisinhas capazes de inspirar até quem não acha piada nenhuma a esta coisa das bruxas!

Imagem1.png

Imagem2.png

Imagem4.pngImagem3.png

 

P.S.: Não. Eu gostava muito, mas não tenho por hábito encher o meu guarda-roupa com estas marcas. Mas isso não significa que não goste de dar uma vista de olhos, e a verdade é que muitas vezes se encontram peças muito parecidas a preços muitoooo mais aceitáveis nas lojas normais. Desta vez encontrei um muito parecido com o da Alice + Olivia com a saia de penas. Bastou-me mandá-lo alterar um bocadinho para inserir o painel nas costas e ficou lindooo! Vai ser o meu vestido para a festa de Halloween deste ano.

Politiquices

O que não tem faltado por aí são textos de opinião, artigos, entrevistas, reportagens, tudo e mais alguma coisa, mas tudo sobre o mesmo tema: o doutor António Costa e alguns dos seus mais fervorosos seguidores estão convencidíssimos de que ganharam as eleições, e ai de quem lhes diga o contrário!

Eu abstive-me de comentar durante estas duas semanas porque achei que era estúpido. Era estúpido comentar uma coisa sem pés nem cabeça, não era possível que alguém pudesse estar realmente a considerar pôr a coligação que efectivamente, quer se queira quer não, venceu as eleições de lado e montar um Governo de esquerda, juntando todos os partidos que, vejam lá, perderam!

Mas António Costa ainda não percebeu que perdeu. Não, na sua cabeça os portugueses vêem nele o salvador da Nação, o D. Sebastião regressado... Mas não é assim, doutor António Costa, acredite que não é assim. Faça lá um esforço para perceber que, se os portugueses o quisessem à frente de alguma coisa, tinham votado em si! A sério, tinham mesmo, é assim que funciona! Fantástico, não é?

Eu juro que acreditava mesmo que isto não passava de uma palhaçada, que eram só os media, mais uma vez, a fazerem uma tempestade num copo de água. Não estava minimamente preocupada... até que comecei a ver muita gente preocupada. Socialistas, minha gente, socialistas verdadeiramente assustados com o rumo que as coisas estão a tomar! Isto sim, é sinal de que alguma coisa não está bem. E o que não está bem é António Costa querer poder a todo o custo: primeiro correu de lá com o Seguro porque achou que conseguia fazer melhor e agora quer correr com os vencedores das eleições, mesmo que para isso tenha que se associar a comunistas e afins, pondo tanto o próprio partido como o País numa situação impensável. Para quê? Para salvar a pele, mais nada. Para ser primeiro-ministro.

Não acho admissível, e vou continuar, na minha inocência, a acreditar que tal coisa não pode ir para a frente. Não pode! Alguém há-de conseguir pôr juízo na cabeça do homem! Alguém lhe diga, gentilmente, com um desenho esquemático e logaritmos se for preciso para o fazer entender de uma vez por todas que os portugueses (maioria ou não, valha-me Deus!) escolheram a coligação para governar. Passos e Portas ganharam as eleições e a única coisa que Costa conseguiu foi a proeza de perder as legislativas mais fáceis de sempre. Depois disto só tinha que fazer como tantos outros antes dele: pôr o rabinho entre as pernas e ir à sua vidinha. Pôr o País em estado de sítio é que não! 

Mas isto digo eu na minha insignificância, que não percebo nada destas politiquices.

Vestir à Outono

Nos últimos dias tenho tido uma certa dificuldade em decidir-me se afinal ainda é Verão ou se já é mesmo Outono. E o tempo não me tem ajudado, ora está Sol e um dia de praia melhor do que Julho, ora vem chuva e vento de fazer uma pessoa ter medo de sair de casa.

Mas a verdade é que se começam a ver tantos looks de Outono, cada um mais giro que o outro, que começa a ser difícil resistir...

Este é o do blog The Londoner, um dos meus preferidos de sempre. O vestido de malha é uma coisa que gosto de usar naqueles dias que nem são carne nem são peixe, e agora só tenho que encontrar um casaco como esta beleza... Mentira! Não arranjo nada, que eu tenho pouco mais de 1.50m e isto não é coisa para ficar bem a toda a gente! Mas que a ideia era boa, era...

Club-Monaco-in-Covent-Garden-1.jpg

Club-Monaco-in-Covent-Garden-1-2.jpg

Club-Monaco-in-Covent-Garden-2.jpg

Club-Monaco-in-Covent-Garden-3.jpg

 

Club-Monaco-in-Covent-Garden-37.jpg

 

 

Uma Coisa Chamada Fitness Blender

Como podem ver no post anterior a semana passada foi pautada por alguns (bastantes) excessos, por isso esta minha nova descoberta veio mesmo a calhar! Trata-se de uma coisinha maravilhosa chamada Fitness Blender. É um site totalmente gratuito e que me pareceu caído do céu quando me foi apresentado por uma colega. Parece que é uma coisa já bastante conhecida, mas para os que forem tão distraídos como eu, fica a dica!

Capturar.PNG

Capturar1.PNG

Capturar2.PNG

O site permite escolher imensas variáveis de treino, incluindo o tempo, o objectivo de calorias a gastar, o nível de dificuldade, o local do corpo a trabalhar, entre tantos outros. A variedade é inacreditável e há realmente treinos para toda a gente, deste pilates a tabata. Deixa de haver a desculpa do ''Ah, não tenho tempo para ir ao ginásio'' ou mesmo uma que já ouvi ''No local onde vivo não dá para ir treinar para a rua''. Com esta ferramenta, não precisamos de sair de casa, não precisamos de qualquer material ou equipamento, e nem sequer precisamos de dispor de muito tempo livre: há vídeos de 15 minutos!

 

Capturar3.PNG

 

O site também tem disponível um motor de busca de receitas saudáveis (ainda não tive oportunidade de experimentar a maior parte, mas parece-me bastante promissor), programas de treino para imprimir e um mundo de artigos sobre tudo e mais alguma coisa.

Vale mesmo a pena perder um bocadinho de tempo a explorar porque, até agora, é sem dúvida a ferramenta online mais completa que encontrei.

E resulta, gente!

A Escola de Ciências da Saúde está de Parabéns!

A Escola de Ciências da Saúde, mais conhecida como ''o bunker'' por só ter rede à beira das janelas e em dias de pouco vento, ou como ''o Olimpo'' por estar à distância de uma rampa de inclinação considerável do resto da civilização do campus da Universidade do Minho, completou esta quinta-feira dia 15 de Outubro, 15 aninhos. Está quase quase a passar a fase do armário, por isso é só ter esperança que as coisas melhorem a partir daqui!

A festa foi assim em jeito de casamento cigano: durou a santa semana toda!! 

12081560_924479910964548_1736459103_n.jpg12081454_924480137631192_821724339_n.jpg12087579_924480127631193_1436578033_n.jpg12087627_924480117631194_2066318180_n.jpg 

Todos os dias havia música, dança, teatro, coisas que não lembravam nem ao Diabo... Mas tenho que admitir que foi bastante interessante. Todos os dias eram uma surpresa, nunca sabíamos com o que podíamos contar!

Claro que a juntar às demonstrações artísticas vinham também os bolinhos, as bolachinhas, as empadas, os folhados, as miniaturas! Resumindo, uma desgraça. Por muito ginásio que fizesse, não havia forma de compensar. Foi uma semana para esquecer, no que toca à dieta.

E para acabar em grande, ainda tivemos a brilhante ideia de ir lanchar ao Spirito na Sexta-feira. Depois de uma semana chuvosa e cinzentona, ninguém conseguiu resistir à tarde de Sol... nem aos gelados, brownies e coisas afins da montra. Pronto, um dia não são dias e asneiras destas valem bem o estrago que fazem!

12087554_924479864297886_128452166_n.jpg12071316_924479834297889_997034143_n.jpg

12083638_924479844297888_37272347_n.jpg

 

Oh, and by the way, Braga you look lovely this time of the year! 

 

 

Não Fui à Praxe... Mas Acho que Devem Ir

Não escrevi sobre isto no início do ano lectivo porque seria só mais um texto no meio de tantos outros. Mas tenho coisas importantes a dizer sobre este assunto às duas ou três pessoas que me lêem.

Eu não fui à praxe (ou melhor, fui dois dias, mas é quase o mesmo que dizer que não fui), mas acho que toda a gente devia ir. Deviam ir os estudantes e devia ir o resto das pessoas que gosta de opinar sem saber rigorosamente nada (ou perto disso) sobre o assunto.

Antes que me comecem a atirar pedras, é importante deixar claro que a praxe depende de imeeeeensas coisas, como da ''tradição'' de cada universidade e principalmente de quem praxa. É como tudo na vida: se o manda-chuva não tiver nada na cabeça, vai dar asneira de certeza.

E com isto passo a explicar a minha experiência pessoal: fui à praxe dois dias, e nem foram dias completos. Detestei aquilo porque não era minimamente compatível com a minha personalidade ou com a minha forma de estar na vida. Não gosto que gritem comigo e não gosto particularmente de ser obrigada a olhar para os pés de pessoas que se dizem meus superiores. Por isso desisti, tão simples quanto isso. Se em algum momento do meu primeiro ano senti que não estava integrada? Não. Claro que não fui convidada para muitas das festas e jantares, mas isso pouco me afectou. A minha integração foi óptima, muito obrigada! Mas isto foi a minha percepção da coisa. Tive colegas que adoraram a praxe, fizeram-na até ao fim e ficaram com memórias espectaculares para a vida! E eu, sinceramente, não tenho nada a dizer contra isso, pelo contrário: nunca vi praxes violentas, nunca vi um caloiro ser renegado por ser ter negado a fazer alguma coisa, nunca vi a humilhação nem a magia negra que tanto apregoam, vi sim actividades super engraçadas que lhes incutiu um espírito de grupo de fazer inveja. Gostar ou não da praxe depende do feitio de cada um, ponto! E é por isso que um dia, quando a minha irmã (que é a pessoa que mais quero ver longe de praxes violentas e abusivas) entrar para a universidade, serei a primeira a incentivá-la a ir à praxe. Vai, experimenta, e depois logo vê. 

 

Caloiro ao Molho 2015

Universidade do Minho

As Eleições, a Chuva, e o Futebol

Hoje acordei cedo porque ontem me dediquei à arte de preguiçar e, por isso, deixei uma pilha de trabalho por fazer. Significa isto que desde as 6:30h da manhã ouço falar nas legislativas e na importância crucial de levantar o rabinho do sofá e ir votar. É assim minha gente: eu ia votar mesmo sem me tentarem convencer que o mundo acabava amanhã se não fosse, e na eventualidade de ter decidido não ir votar, não era esta avalanche de apelos que me ia convencer. Por isso, para a próxima, tentem não me dar cabo da cabeça no dia das eleições, já basta o circo a que tenho que assistir durante a campanha.

Dito isto, gostava de deixar muito claro que a única desculpa aceitável para fazer parte daquela fatia da abstinência (salvo raríssimas excepções) é, pura e simplesmente, ''não quis ir votar, não me apeteceu''. E pronto. Claro que toda a gente vai ficar a pensar que a pessoa que diz isto é uma idiota e não merece o ar que respira, mas pelo menos disse a verdade e não está a tentar fazer de nós parvos. Porque eu acho que quem me diz ''Ah, estava a a chover muito, assustei-me com o vento e tive medo de apanhar uma pneumonia e morrer'' ou ''Eu até ia, mas o Benfica/Porto/Sporting/whatever joga mais logo e estou em modo preparação, por isso não deu mesmo'' está mesmo a gozar com a minha cara.

E pronto, era só isto que queria dizer. Um facto é que quem passa o Inverno em Braga não tem assim tanto medo de molhar um bocadinho os pés e também não me interesso por aí além pelo futebol, por isso não tinha desculpa. Fui votar, fiz a minha parte e ganhei o direito de me queixar durante os próximos quatro anos, se me apetecer. E quem não fez o mesmo, é um ovo podre.

Pág. 1/2